CFTV: saiba tudo sobre esse sistema

Se você chegou até aqui, provavelmente tem dúvidas ou interesse em ofertar serviços de CFTV. Pode ser que sua empresa já ofereça esse tipo de solução, mas sinta a necessidade de trazer novidades para seus clientes. De uma forma ou de outra, este conteúdo é para quem precisa aprofundar seus conhecimentos sobre o tema. Começaremos do básico e traremos as dúvidas mais comuns, para que você possa se sentir mais seguro ao tomar decisões.

De antemão, podemos garantir que as empresas que têm o conhecimento necessário para instalação do serviço têm também um grande negócio nas mãos. As soluções mais procuradas são as de videomonitoramento e os sistemas de alarme com e sem fio. Esperamos que, com a leitura deste guia de CFTV e dos tópicos relacionados, você possa oferecer um serviço de qualidade a seus clientes. Boa leitura!

O que é CFTV?

Vamos começar pela definição: CFTV é a sigla de Circuito Fechado de TV. Em materiais em inglês, você pode encontrar o conceito como CCTV, que nada mais é do que Closed Circuit Television.

Na prática, o CFTV engloba um conjunto de equipamentos que, quando ligados a uma central, oferecem ao estabelecimento comercial ou à residência um serviço de segurança por meio de imagens. Além das câmeras e demais dispositivos, é necessário que haja uma operação de vigilância. Ela pode ser feita de diferentes formas, mas, em geral, é realizada por pessoas que monitoram os ambientes de forma contínua por meio de equipamentos que gravam e armazenam as imagens.

No que diz respeito à estrutura física do CFTV, pode ser basicamente de três tipos:

  • Analógica;
  • IP;
  • Híbrida.

Como funciona o CFTV?

O CFTV funciona da seguinte maneira: as câmeras captam imagens que são transmitidas para aparelhos de TV instalados numa central de monitoramento. As imagens também podem ser transmitidas para dispositivos móveis, como smartphones e tablets.

O monitoramento pode ser à distância, resguardando a segurança da pessoa responsável pela supervisão. A recepção dos sinais é feita por equipamentos que podem ser DVR, NVR ou HVR (veremos mais detalhes adiante).

Para que funcione corretamente, o sistema requer uma fonte de alimentação – dimensionada de forma adequada para a câmera, conectores de cabos de vídeo com boa qualidade, para garantir o sinal. Por sua vez, o nobreak, garante que não vá haver falhas motivadas por falta de energia elétrica.

Por quais equipamentos o CFTV é composto?

 
 Basicamente, o sistema é formado por:

• Câmeras e suas respectivas fontes de alimentação;
• Cabos coaxiais (para sistemas analógicos) ou cabos de rede UTP ou fibra ótica (sistemas digitais);
• Aparelhos de gravação e armazenamento que recebe as imagens das câmeras, distribui para os monitores ou telas de dispositivos móveis e grava as informações. Podem ser DVR (Digital Video Recorder) para sistemas analógicos, NVR (Network Video Recorder) para sistemas digitais com imagem via IP, ou HVR (Hybrid Video Recorders) que aceita ambos os tipos de câmeras.

Tipos de Câmeras (formatos)

 

Tipos de lentes

 

Antes que você se pergunte qual é a estrutura ideal para cada cliente, informamos que a resposta é “depende”! Nos próximos tópicos, você verá que é preciso analisar caso a caso antes de comprar insumos para a instalação de equipamentos. Olhar somente para o preço das câmeras, por exemplo, nem sempre é o melhor a se fazer, já que há um conjunto de outros fatores a serem considerados.

Vantagens e benefícios do CFTV

O objetivo do CFTV é auxiliar na prevenção de ocorrências criminosas. Como a maioria das câmeras são visíveis nos locais em que se quer proteger, elas inibem a ação de pessoas mal intencionadas.

No caso de haver uma ocorrência, o CFTV ajuda na identificação de seus responsáveis para as devidas ações sejam tomadas. Isso vale tanto para a identificação de suspeitos quanto para o registro de atividades no ambiente, tanto em casas quanto nas empresas.

Sendo assim, o principal benefício é o aumento da sensação de segurança das áreas protegidas pelo sistema. De forma prática, pode contribuir com provas para ações trabalhistas, na identificação de criminosos e na inibição de casos de vandalismo. A proteção do patrimônio e da integridade das pessoas é uma das grandes vantagens do sistema de CFTV.

Minha empresa ainda não presta serviços de CFTV. Como começar?

A primeira tarefa de uma empresa iniciante no mercado deve ser a de pesquisar extensivamente sobre o assunto. Se chegou até aqui, ótimo! Você já deu um importante passo!

Agora, responda à seguinte questão: Você tem alguma estrutura de cabeamento instalada na casa ou empresa do cliente?

  • Nenhuma estrutura de cabeamento: você precisará começar do zero e terá de definir qual a melhor maneira de oferecer o serviço, com menor custo e melhor qualidade de operação. Considere aspectos como locais a serem monitorados, o ângulo das câmeras que serão usadas, bem como a distância que elas conseguem captar imagens, a distância para o local de monitoramento, entre outros.
  • Outros tipos de cabeamento, como internet: a boa notícia é que você já está na casa ou empresa do cliente e pode ampliar a oferta de serviços gastando menos, especialmente se sua rede for de fibra óptica.

Em ambos os casos, é importante saber que há soluções possíveis para todo o tipo de cliente. Conhecer bem o mercado e saber oferecer os produtos certos para as necessidades de cada um pode ser um grande diferencial para seu negócio

IP x analógico

Independentemente de o sistema analógico estar suprindo ou não as necessidades do cliente, a tecnologia IP apresenta inúmeras vantagens que não podem ser ignoradas e que à primeira vista podem passar despercebidas por iniciantes. Para que fique mais claro quais são elas e para desfazer alguns mitos a respeito da tecnologia IP, vamos responder às perguntas mais frequentes sobre o assunto:

O equipamento IP é mais complexo que o analógico?

Para quem está acostumado com a mecânica do produto tradicional, a tecnologia IP pode parecer mais complexa, mas não é. Quando se tem conhecimentos básicos de rede de computadores, a instalação do equipamento IP torna-se tão ou mais fácil do que a de qualquer outro.

É preciso migrar para a tecnologia IP de uma vez só?

Esse é o primeiro dilema com o qual se deparam os instaladores do serviço. Os que já oferecem o analógico ficam na dúvida se precisam migrar para o IP. Os que estão entrando no ramo, observam o preço do IP e se perguntam se o investimento vale a pena.

Aqui, novamente cada caso precisa ser observado de forma particular. Um sistema analógico simples que funcione bem e atenda às atuais necessidades dos clientes talvez não precise ser substituído. Se ele for mais complexo, mas estiver cumprindo sua função, pode ser migrado aos poucos.

O principal ponto a ser considerado é a falta de flexibilidade do equipamento analógico, que acaba esbarrando em algumas limitações. A opção para quem deseja migrar de forma gradativa é o sistema Multi HD. Com ele, os instaladores conseguem utilizar diversas tecnologias ao mesmo tempo: HDCVI, AHD, HDTVI, analógica e IP. É o primeiro passo para entrar no futuro dos sistemas de segurança IP.

Se o cliente tem várias câmeras analógicas instaladas em um ambiente, talvez não compense substituir todas de uma vez. Ele pode elaborar um bom projeto de migração e substituí-las aos poucos. Por mais que o ganho de qualidade seja expressivo, se o projeto funciona, não há porque ter pressa.

No entanto, um projeto que começa do zero precisa de uma análise mais profunda. Na maioria das vezes, o instalador leva em conta somente o preço de cada produto, e isso é um erro.

No processo de migração e dependendo das circunstâncias, a opção de começar por um sistema misto ou híbrido pode ser oferecida pelo instalador. Nesse modelo, é utilizado um NVR (gravador de vídeo em rede) para gravar as câmeras IP e fazer o backup de segurança das câmeras analógicas. Para fortalecer a segurança do sistema, no modelo misto, o NVR é instalado em um local menos exposto que o DVR, porém, em conexão com a rede do sistema analógico.

 

Equipamentos IP consomem banda de internet?

Não! Esse é um dos mitos mais comuns da tecnologia IP. Equipamentos IP trabalham em rede local, ou seja, não usam a internet para o tráfego de informações. Em uma comparação simples, é como se eles tivessem uma internet própria.

Os equipamentos IP só vão consumir banda quando houver acesso remoto a eles, ou seja, quando o cliente quiser acessar as imagens do circuito interno de um local externo (no trabalho acessando as imagens de casa, por exemplo), ou mesmo quando houver uma central de monitoramento que fique fora da rede local.

A mesma lógica vale para equipamentos analógicos com acesso remoto. Afinal, eles também podem estar ligados à internet, e vão consumir banda, caso haja acesso remoto a eles.

Equipamentos IP são mais caros?

O produto IP é um pouco mais caro que o analógico. No entanto, há vantagens que acabam compensando, e até superando essa diferença.

O que preciso saber antes de migrar para a tecnologia IP?

Tudo que é IP roda através de redes de computadores. Portanto, o principal conhecimento que o instalador precisa ter é sobre o funcionamento dessas redes. Basicamente, elas são compostas por dispositivos como câmeras, computadores, telefones, entre outros.

As redes podem ser de três tipos:

 

Serviços de alta tecnologia que você pode oferecer

Mesmo utilizando tecnologias avançadas e equipamentos de qualidade, é possível que, devido a falhas humanas ou mesmo à grande demanda pelo serviço, em certos momentos o sistema fique vulnerável.

Pensando nisso, lembramos que a cada dia novos produtos e tecnologias são criados e disponibilizados no mercado. Eles são o futuro do monitoramento e podem minimizar falhas humanas ou possibilitar que uma demanda crescente pelo serviço seja atendida de forma mais eficiente do que era no passado. Ficar de olho nessas novidades é fundamental para oferecer soluções cada vez mais completas em segurança para seus clientes. A seguir, selecionamos 5 dessas novidades para te mostrar:

01. Câmera panorâmica

Em locais extensos e com pouca movimentação, como é o caso de um estacionamento de veículos, é interessante pensar na possibilidade de instalar uma única câmera panorâmica em vez de dezenas de câmeras comuns. Com um único equipamento, e um operador mais atento às imagens transmitidas, pode-se melhorar as
condições de segurança do local.

02. Tecnologia de baixa luminosidade

A maioria das câmeras tem sensores para identificação de ações criminosas no escuro. No entanto, não permitem identificar detalhes. Com a tecnologia de baixa luminosidade, é possível diferenciar cores e texturas, tornando a identificação de intrusos mais fácil e a ação mais precisa.

03. Mapa de calor

Úteis para o marketing de estabelecimentos comerciais, os mapas de calor fornecem informações sobre o comportamento dos visitantes dentro da loja, indicando ao empresário onde é mais vantajoso colocar produtos de interesse ou mesmo se determinada ação pré-planejada teve o efeito esperado. Também podem ajudar a identificar a necessidade de reforço na segurança em locais com maior circulação de pessoas.

04. Equipamentos de altíssima resolução

São fundamentais para a identificação de detalhes, pois, quanto maior a resolução, maior a possibilidade de dar zoom sem perder qualidade. Em um caso de investigação de furto ou assalto, a captura da cor exata da roupa ou da tatuagem do meliante pode ser decisiva na identificação do suspeito.

05. Leitura automática de placas

Em um condomínio, a câmera pode reconhecer as placas dos carros dos moradores bem como as registradas como não permitidas, sem a necessidade de software. Se instalada em um estacionamento de um shopping, por exemplo, pode registrar até 10 mil placas de veículos em um dia. Assim, se um roubo ocorrer num dado dia, os gestores terão uma relação de todos os carros que passaram pelo local.

Esperamos que, com essas informações, você tenha maior clareza sobre as vantagens e possibilidades do CFTV. Se restar alguma dúvida específica, entre em contato conosco

 

Quem somos

A Empresa

Fundada em 1994, a Nataltel é revendedora autorizada da Intelbras no estado do Rio Grande do Norte e referência em produtos e serviços nas áreas de segurança, telecomunicações e redes.

Especializada em centrais telefônicas para empresas e condomínios, cabeamento estruturado, câmeras e sistemas de monitoramento.

Open chat
Precisa de Ajuda?